dezembro 2014

1 Publicações Voltar ao Inicio
Mostrar publicações feitas no mês de dezembro 2014.

Luz Especial

O encontro entre luz e design vem sendo investigado por diversos designers contemporâneos, que têm dedicado especial atenção à criação de peças provocantes e intensas, envolvendo e convidando seus usuários a perceberem os espaços sob novos jogos de luz, sombra e estética. Poéticas, dramáticas ou inusitadas, as luminárias podem trazer os mais diversos efeitos aos ambientes, com desenhos inesperados e materiais nem sempre usuais. Confira algumas peças que merecem atenção.

O pendente Porca Miseria!, do designer alemão Ingo Maurer – conhecido como o Poeta da Luz por suas criações escultóricas – impressiona pela irreverência, feito por louças quebradas e talheres que parecem surgir de uma explosão. A produção da peça é limitada a dez por ano, não por acaso, já que sua construção exige o esforço de pelo menos quatro pessoas. Um trabalho ícônico no universo da iluminação, criativo e totalmente original.

União entre tradição e modernidade. A luminária Hope, dos designers Francisco Gomez e Paolo Rizzato, é uma reinterpretação dos pendentes clássicos com o uso de tecnologias avançadas e materiais contemporâneos. As suas finas lentes de policarbonato de fresnel, que lembram pétalas, multiplicam os raios de luz para criar efeitos luminosos inesperados e envolventes.

Marie Coquine é uma luminária, no mínimo, provocante. O inventivo Philippe Starck não poupou emoções na hora de idealizar e criar essa peça única em parceria com a Baccarat, tradicional grife de cristais franceses. O designer explica que, buscando ressaltar a magia dos cristais – com todas as suas infinitas possibilidades de reflexos, distorções e difrações – inspirou-se na personagem fictícia Mary Poppins, babá mágica criada pela escritora australiana Pamela Lyndon Travers. “Ela fez a coisa mais elegante, mais feminina, mais fantástica e mais surrealista que eu já vi. Muito elegante e muito gentil, ela levava uma vida normal. De repente, ela abre o seu guarda-chuva e voa para longe graciosamente!”

Sem medo de ousar, Philippe Starck não se contenta em colocar cristais em seu lustre, mas faz uma instigante, e talvez estranha, combinação entre um tripé, um saco de boxe e um guarda chuva, o que até mesmo ele admite que possa parecer confuso. Mas ele garante que a criação buscou sempre o limite do impossível. “A luz perfeita vem do sol. A melhor maneira de roubar um pedaço dele é acender o fogo numa lareira ou numa vela. Toda as outras formas podem ser inteligentes, mas não são um fogo real. Fogo real é paixão. É amor”. Certamente, paixão é o que não falta em seus trabalhos com iluminação.

Em qualquer produção da arquiteta Zaha Hadid, sua genialidade fica comprovada. Além de ser nome de destaque no universo arquitetônico, a ganhadora do Pritzker também não deixa a desejar quando se entrega ao mundo do design. Na Feira de Milão de 2013, a artista revelou suas formas assimétricas e sedutoras nas luminárias Aria e Avia, para a italiana Slamp. Ambas são compostas por folhas de plástico, translúcidas ou opacas, formando fontes de luz que se traduzem em efeitos de iluminação instigantes.

Lindsey Adelman é um nome a se conhecer no mundo do design de iluminação. A artista novaiorquina criou os impressionantes lustres da coleção Knotty Bubbles, peças que parecem ter vida própria, em bolhas de vidro soprado, cordas e latão. A designer atua em Nova Iorque junto a uma rede de artesãos locais que fabricam cada peça por encomenda. As formas esculturais e intrigantes de seus pendentes conferem novas perspectivas de luz e um toque exclusivo a qualquer ambiente.

Navegar