Detalhes

Estantes geométricas

A estante é um móvel fundamental para manter a organização dos espaços – seja da casa ou do escritório – e abrigar objetos de estima, como livros, CDs, DVDs e adornos, que ficam ao alcance visual de todos, passando a incorporar o décor. Esta peça-chave caiu nas graças dos designers, ganhando novas versões, em materiais modernos e formatos surpreendentes. As peças podem ir além do caráter utilitário e assumir o status de objeto escultural, inspirado nas formas geométricas.  Confira três modelos de estantes geométricas que se destacaram no último Salão do Móvel de Milão.

1. Funcional e escultural

Entre as novidades apresentadas no Salão do Móvel de Milão 2016, estão os modelos assimétricos, com formas geométricas desalinhadas propositalmente, para provocar e atrair o olhar, elevando a peça ao status de obra de arte.

A Arketipo lançou mão do metal bruto para a estrutura da Lady Bird, cujo design, assinado por Giuseppe Viganò, foi inspirado em gaiolas.
Versão da estante em metal Su – disponível nas cores preta ou branca -, que traz a assinatura de Diego Collareda para a Ronda Design.
Estante vertical Su, com design de Diego Collareda para a Ronda Design, em metal envernizado. Composta por seis ou sete unidades montadas em aparente forma irregular, soldada sobre base de ferro.

2. Blocos de montar

A geometria também surge em outros modelos que lembram blocos de montar e, em muitos casos, possuem nichos independentes, possibilitando diferentes configurações da peça.

Módulos em diferentes alturas e espessuras também provocam um efeito volumétrico, trazendo dinamismo ao home theater da coleção Spazio, da Pianca.
A estante em metal Iron-ic, de Ronda Design, pode ser composta em infinitas combinações de seus módulos, oferecendo máxima modularidade e funcionalidade.
As estantes brancas tiram partido de espaços vazados, deixando a textura de tijolinho à mostra, junto com os livros e objetos que compõem o living concebido pela Tonin Casa.

3. Tudo à mostra

Versáteis e decorativas, as estantes vazadas tornam-se elemento de destaque no décor por seu caráter multifuncional, podendo ser usadas para dividir espaços, garantir amplitude, trazer privacidade e, claro, abrigar livros e objetos. Além de adicionar leveza e modernidade, a peça contribui para uma estética cheia de personalidade. Grandes marcas do mobiliário apresentaram modelos nos mais variados materiais, como madeira, ferro, entre outros.

A estante Arie, da E15, possui linhas simples, em carvalho europeu encerado.
Em linhas retas e assimétricas a estante de ferro traz leveza ao ambiente da Lema.
A versão da Tonin Casa, batizada de Arpa, em ripas de madeira maciça, formam um moderno desenho losangular.

12 ideias para ampliar visualmente os espaços

Conheça doze conceitos de fácil aplicação que podem aumentar visualmente os espaços internos da morada!

1. Branco mais branco

Utilize a cor a favor do ambiente. A luminosidade de um cômodo contribui para o bem-estar, por isso, aposte no poder refletor do branco. Paredes e tetos pintados neste tom amenizam as divisões da morada. Se você usar uma cor clara nas paredes, coloque branco no teto, nas guarnições das portas e nos rodapés, pois, assim, o espaço vai parecer muito maior.

As paredes brancas deste décor ampliam visualmente os espaços e contrastam com a mobília, assinado pela E15.

2.Áreas de circulação

Em espaços de dimensão reduzida, dispor o mobiliário, aproveitando as potencialidades de uma das paredes, libera o restante da área para a boa circulação dos moradores. Dessa forma, as paredes poderão ser aproveitadas verticalmente com a inserção de nichos e prateleiras ou, ainda, elementos decorativos. Outra forma de organizar melhor o espaço é escolher um ponto principal. Na sala, por exemplo, esse ponto é onde fica a televisão, assim, os móveis podem ser organizados em volta dele.

O aproveitamento vertical das parede no décor deixa espaços livres para a circulação, por ClassiCon.

3.Enfatizando a verticalidade

Tire máximo proveito do pé-direito de sua morada, ainda mais quando os metros quadrados não estão sobrando. Ressalte ‘alturas’, seja através da seleção de móveis e peças ou da aplicação de alguns revestimentos.

Elementos organizados na vertical ressaltam a altura do projeto, por Adriani & Rossi.

4.Espelhos

Utilizar espelhos cria a sensação de maior abertura nos ambientes. Com sua função principal de refletir, eles também podem agir como uma janela que reproduz o jardim ou área verde da morada, o que também vai prolongar o horizonte.

Com seu efeito refletor, os espelhos ampliam os espaços, por Tonin Casa.

5.Riscas nas paredes 

Riscas horizontais, aplicadas através de tinta, papel de parede ou ainda do material de revestimento das paredes, podem ser uma solução para alongar os espaços. A escolha da cor também deve ser levada em consideração, já que paletas muito fortes não são aconselháveis em áreas pouco iluminadas.

As riscas horizontais alargam os ambientes, por ClassiCon.

6.Tecidos neutros

Espaços reduzidos harmonizam melhor com cores claras e neutras, por isso, para ampliar visualmente seu quarto, abuse de tecidos neutros e tons claros e deixe as cores fortes para os detalhes, como almofadas ou cabeceiras.

O uso de tons neutros dão ainda um ar aconchegante aos ambientes, assinado por Letti & Co.

7.Otimizar o espaço

Apartamentos pequenos e sem armários? Por que não reservar um dos lados do ambiente para esse fim? Nem é preciso fazer grandes obras, basta utilizar armários abertos ou araras para acomodar as roupas e objetos. Você pode até usar uma cortina, para cobrir a área e manter o ambiente em ordem.

As araras e armários abertos são ainda práticos na hora de reorganizar os espaços, design de Porro.

8.Sem tapetes

De acordo com seu estilo, e se gosta de uma pegada mais minimalista, considere não usar tapetes ou optar por modelos mais simples e leves. Invista em revestimentos que podem ser apreciados por sua estética.

Apostar em revestimentos de madeira para piso são uma boa opção para eliminar os tapetes, assinado por E15.

9.Linhas divisórias

A transição suave entre a parede e o teto enfatiza a altura e a largura de uma sala. Para ampliar a percepção do espaço, deve-se, então, evitar essa suavidade, apostando no mobiliário baixo, por exemplo, para deixar o espaço de cima livre, o que cria uma sensação de maior amplitude. A sala parece maior quando todos os móveis se encontram na mesma linha do olhar.

O ambiente parece maior quando os móveis estão na mesma linha do olhar, por Normann Copenhagen.

10.Janelas à vista

Quem aprecia iluminação abundante nos interiores, mas não tem espaço suficiente para isso, pode considerar banir as cortinas das janelas. Consequência: a paisagem adentra sem esforço e a área é ampliada visualmente. Se a preocupação for com a privacidade, opte por tecidos leves de tramas largas, que protegem de olhares indiscretos, mas não cortam a luz natural.

Com cortinas leves é possível aproveitar a iluminação natural, que amplia visualmente os espaços, por Il Loft.

11.Simplicidade

“Menos é mais” continua sendo uma máxima. Para ambientes pequenos, selecione apenas o mobiliário essencial. No quarto, por exemplo, a cama, a mesinha de apoio e o armário são suficientes para o espaço cumprir sua função e ao mesmo tempo ser confortável.

Escolher apenas o mobiliário essencial para os cômodos libera o espaço para circulação no ambiente, por E15.

12.Ordem no espaço

Uma área precisa estar bem organizada. O mais comum é aproveitar todos os recantos para dispor os móveis de um ambiente, mas, ao contrário disso, procure deixar paredes e revestimentos limpos ou agrupe móveis apenas num lado da sala.

Para organizar o ambiente, procure agrupar objetos de um lado do espaço, design de Pianca.
Navegar