NoIndex Link

Cortinas sobre persianas

0

Cortina ou persiana? A resposta para essa dúvida tão frequente em projetos de ambientação pode estar na união dos dois acessórios, que, além da função de filtrar a entrada de luz – parcial ou totalmente -, trazem um toque final de aconchego aos espaços.

O arquiteto André Monte, investiu na união de uma persiana leve, em lâminas de tecidos suspensas, com uma cortina em seda para criar a atmosfera sofisticada e envolvente do living.

1. Living envolvente. A depender das cores e materiais, ambas as escolhas cumprem bem a função de filtrar a entrada de luz natural nos espaços e compor o décor, trazendo privacidade ou tornando o ambiente mais arejado e aconchegante. A estratégia adotada por Susana Fiúza para a área convivência, onde a transparência da persiana permite a luz natural adentrar, deixando a espaço arejado, enquanto as cortinas arrematam com aconchego.

2. Intismo redobrado. Por muito tempo, as pessoas acreditavam que tinham que optar pela cortina ou pela persiana para vestir as janelas. Hoje, entretanto, a tendência é agregar os dois acessórios, potencializando, assim, seus efeitos estéticos e funcionais. O ideal é que quando se opta por uma persiana mais leve a cortina seja mais encorpada, e vice-versa, criando sempre um ponto de equilíbrio. No home office concebido pela arquiteta Patrícia Hagobian para a Casa Cor São Paulo 2016, pensado para um homem cosmopolita, o calor da madeira – utilizada na persiana, no piso e no mobiliário – é suavizado pela leveza da cortina, em tecido natural.

As texturas in natura também foram a aposta de Sophia Romcy para potencializar o aconchego deste living praiano, com a persiana em madeira sobreposta por duas cortinas, com cores e funções diferentes.

3. Clássico contemporâneo. Cada uma possui suas próprias características, embora ambas atendam às premissas funcionais e estéticas de um projeto. Visualmente, as cortinas se apresentam como uma opção clássica, e as persianas – disponíveis em diferentes versões, manuais ou automatizadas – costumam ser associadas a um estilo mais clean. Juntas, elas fazem um contraponto certo para enriquecer a decoração, como mostra o espaço do arquiteto Nildo José para a Casa Cor São Paulo 2016, em que a cortina branca sobre a persiana em madeira reafirma o minimalismo cálido do projeto.

André Monte também adotou tons neutros na composição de cortina e persiana, apostando na nobreza da seda para seguir a linguagem sofisticada do living.

4. Mix de tons e texturas. A sobreposição cortina-persiana em tons semelhantes cria uma atmosfera harmoniosa, aconchegante e atemporal, enquanto o contraste de cores e texturas pode ser valorizado para tornar o visual das janelas mais impactante. Para a suíte acima, Fábio Braga e Júlio Vieira investiram na persiana horizontal, em madeira, com cortina cujo padrão simula um efeito manchado, trazendo personalidade para o ambiente a partir do uso de tonalidades neutras e texturas diferenciadas.

Aqui, na proposta de Sophia Romcy para o recanto de convivência, a leveza da persiana na cor branca ganha a companhia de uma cortina em seda, com um toque acetinado, que garante a aura de sofisticação.

5. Calidez e personalidade na ala íntima. Nas suítes, a união de cortinas e persianas é extremamente bem-vinda para potencializar as sensações de aconchego e intimismo. Além de vedarem totalmente a entrada de luz, quando necessário, as persianas em madeira trazem um toque cálido para o ambiente, arrematando a decoração com intimismo.

Por serem extremamente versáteis, elas podem ganhar a companhia de cortinas em diferentes materiais, adequando-se a diversas propostas de ambientação. A exemplo destas suítes projetadas por Sophia Romcy para um apartamento de praia, onde as cortinas, em linho cinza e azul intenso, se sobrepõem à persiana, fazendo um belo contraponto ao calor da madeira.

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta