NoIndex Link

DNA MARCANTE

0

Com ar cosmopolita e urbano, o apartamento mistura madeira, concreto e tons claros no projeto de Kel Oliveira. Sem paredes ou divisórias fixas, os espaços conversam entre si de forma simples, adequando-se a vários momentos e ao dia a dia prático do jovem casal.

Os projetos de Kel Oliveira, do Studio K, trazem em sua essência o DNA de quem vai usá-los. Neste apartamento de 123 m² não foi diferente. A designer imprimiu uma personalidade marcante em sintonia com o perfil cosmopolita e urbano dos clientes. Logo no início, ela definiu uma grande intervenção na planta original para atender as solicitações do casal, que desejava espaços integrados, iluminados, amplos e funcionais. A área social ganhou alguns metros e mais luz natural com a sacada definitivamente incorporada. A cozinha também conquistou lugar de destaque, com portas de vidro refletente que permitem a abertura total para a área social, com living e sala de jantar. Com a demolição das paredes, a estrutura de vigas e pilares ficaram à mostra, o que deu o ponto de partida do décor, que impressiona pela identidade forte. “Além do cinza do concreto, um dos principais elementos são os painéis em madeira natural que revestem as paredes da sala”, revela Kel, que também assina várias obras de arte do apartamento. Elas criam pontos de cor e personalizam cada espaço, compondo um visual atraente com o mobiliário de design, que inclui alguns clássicos, como a icônica poltrona Eames com pufe e o conjunto de mesa e cadeiras Tulipa, do arquiteto filandês Eero Saarinen. A natureza também assume papel importante, tanto no exuberante jardim vertical entre a sala e a varanda, como na vista privilegiada para o Parque do Cocó levada para dentro de casa. “Ao final, tudo que os clientes queriam estava ali para inspirar o dia a dia”, conclui a designer.

A área social ampliada e integrada recebe mais luz natural, que entra pelas cortinas de vidro junto com a vista para o Parque do Cocó. O estilo cosmopolita e urbano se define na planta livre e no mobiliário de design (Galpão D). Vale observar o detalhe da estrutura de serralheria para duplicar o open bar na sala de jantar. O tapete (Bete Cunha Tapetes) traz o grafismo para a cena, junto com a paginação dos painéis de madeira nas paredes e os ladrilhos em branco e azul na cozinha de apoio. Destaque para as obras de arte assinadas pela própria designer, que também é artista plástica. A cozinha pode se integrar à sala graças às portas deslizantes em vidro espelhado (Color Glass), Os móveis sob medida (Black Box), desenhados pelo escritório, garantem a praticidade, mantendo o visual organizado. Bancadas em silestone e supernano (Multipolipedras) foram escolhidas para a ilha e a bancada. Repare na solução para ganhar espaço no alto, com a estrutura em serralheria para guardar panelas e utensílios. Para quebrar o rigor da base em concreto e madeira, o toque natural do jardim vertical vem na transição entre sala e varanda.

RASGOS DE LUZ foram incorporados com DELICADEZA no projeto, causando um EFEITO indireto MODERNO e ACOLHEDOR.


PERFIL DO PROFISSIONAL

Formação: Design de Interiores pela Faculdade Integrada do Ceará (FIC) e artista plástica.
Tempo no mercado: 10 anos.
Lema ou filosofia: “Cada projeto deve ser singular. É fundamental ter na sua essência o DNA de quem irá usá-lo. Por isso, minha preocupação diária é criar ambientes personalizados que realizem sonhos”.


Outro exemplo de otimização está no lavabo, com linhas precisas e sem excessos na bancada contínua (Multipolipedras). No hall, a geometria em preto e branco do piso contrasta com o colorido vibrante da tela.

A suíte ganhou um recanto para trabalho superfuncional graças ao mobiliário na medida exata (Black Box). Filetes de luz rasgam a parede, trazendo um efeito moderno na iluminação (Inlight). As cortinas foram personalizadas com tecidos marcantes (Bete Cunha Interiores).

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta