NoIndex Link

Poltrona Butterfly – Ícone do estilo moderno

0

O bom design é capaz de atravessar gerações. Uma prova disso é a poltrona Butterfly, ícone do design mundial que tem lugar reservado no seleto acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) desde 1944. Aliás, a peça emblemática está no centro de muitas controvérsias, com um percurso histórico fora do comum, que inclui, inclusive, sua nomenclatura.

A poltrona Butterfly ganhou inúmeras atualizações ao longo das décadas, a exemplo dessa versão em armação de ferro com acabamento em zinco.

Poltrona Hardoy, cadeira BKF, poltrona AA, Safari Chair e Sling Chair são alguns dos nomes que surgiram ao longo das décadas para designar o objeto desenhado em 1938 por três assistentes do renomado arquiteto suíço Le Corbusier. Assim, o catalão Antoni Bonet e os argentinos Juan Kurchan e Jorge Ferrari-Hardoy criaram a peça para mobiliar um hotel em Buenos Aires. 

Uma releitura que eleva o design atemporal da icônica Butterfly. A Artifort trouxe mais contemporaneidade à estrutura da peça, em aço inoxidável escovado.Foi uma das primeiras poltronas a propor um assento suspenso, encaixado em quatro pontos. A estrutura em madeira e assento em couro garantiu um desenho funcional, leve e moderno, que marcou a premiação 3° Salon de Artistas Decoradores em 1943.

A Plantation Butterfly Chair, da Uniqwa Furniture, é uma versão que preza por materiais eco, com assento em rattan.

 

Suas partes articuladas dobravam-se de forma simétrica, uma do lado da outra, até obter uma versão ultracompacta. À época, o curador do departamento Design Industrial do MoMA, Edgar Kaufmann Jr, trouxe as duas primeiras Butterfly para os Estados Unidos e a partir daí, a empresa norte-americana Artek-Pascoe passou a produzir a Butterfly em grande escala até 1947, elevando sua popularidade.

A poltrona Tripolina, criada em 1850 pelo inglês Joseph Beverley Fenby, tem aspecto similar à primeira versão da Butterfly. Couro e madeira são os tradicionais materiais que a Futon Company usou para lançar essa versão.

Em seguida, a marca Knoll adquiriu os direitos sob a peça no EUA, e logo enfrentou problemas com cópias ilegais. Apesar da polêmica, a Butterfly atravessou a história, ganhando inúmeras atualizações e versões a partir de novos materiais e texturas em um eterno processo de reinvenções e experimentações da peça, que adentrou o imaginário coletivo por ser um verdadeiro ícone moderno.

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta